Zezinho Corrêa intubado, David Assayag em UTI e Leonardo Castelo saindo da Covid-19

Zezinho Corrêa intubado

Zezinho Corrêa intubado e David (esquerda) sob observação, podendo receber o mesmo procedimento. Os dois, cantores de maior sucesso com toadas de boi bumbá, enfrentam a Covid-19

A pandemia de Covid-19 chegou aos cantores amazonenses. Zezinho Corrêa, líder da Banda Carrapicho, recebeu a intubação orotraqueal. David Assayag está em UTI, em estado grave, sob observação, podendo também ser intubado a qualquer momento.

Zezinho e David estão internados no hospital da Samel no Boulevard Álvaro Maia, antigo Prontocord. O local funciona com duas UTIs para Covid-19, uma com 20 leitos e outra com 16.

Curioso é que os dois são os cantores de maior sucesso, nacional e internacional, nas toadas de boi bumbá. Zezinho interpreta “Tic-Tic-Tac”, de Braulino Lima, uma explosão mundial regravada em inúmeros idiomas. E David gravou, com Fafá de Belém, o supersucesso “Vermelho”, de Chico da Silva.

“David está desconfortável, respirando com dificuldade e a intubação vai depender da evolução clínica, mas não está descartada”, disse uma fonte médica que o visitou.

O “Rei” do Garantido, para o qual acaba de retornar, que era “Imperador” no Caprichoso, até ano passado, sentiu os sintomas da Covid-19 e foi diagnosticado em Parintins. De lá, em UTI Aérea, foi transferido para o hospital da Samel, em Manaus, segunda (04/01).

 

Boas notícias

Outros dois cantores também contraíram o coronavírus. Márcia Siqueira, a “Rosa Vermelha” do Garantido, que integra o quadro de quatro levantadores de toadas oficiais do bumbá, está se tratando em casa. Ela ainda não precisou de internação.

O levantador de toadas Leonardo Castelo, que precisou fazer traqueostomia, diante do quadro grave, já decanulou (retirou o tubo do procedimento). O cantor pulou a fogueira e já está muito perto de receber alta.

A proximidade da alta de Leonardo traz alento para os demais, que ainda enfrentam a fase aguda da doença. Ele tem gravado vídeos, com a voz quase totalmente recuperada, o que é um excelente sinal. “Quem faz traqueostomia ou sofre intubação orotraqueal pode comprometer as cordas vocais, que são fundamentais para cantores. Mas parece que o hospital está sabendo lidar com isso e recuperado bem os profissionais que se tornaram pacientes”, disse uma especialista, ouvida pelo portal.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.