‘Petrus’ desarticula esquema que desviou R$ 1,5 milhão em combustível

'Petrus' desarticula esquema que desviou R$ 1,5 milhão em combustível

‘Petrus’ desarticula esquema que desviou R$ 1,5 milhão em combustível. Fotos: Erlon Rodrigues/ PC-AM

Doze pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de desvio de combustíveis de uma empresa privada foram presos e apresentados durante o balanço da operação “Petrus”. Durante os trabalhos, foram apreendidos nove carros e R$ 61,5 mil em espécie.

A Polícia Civil do Amazonas apresentou nesta sexta-feira (21/6), às 11h, no prédio da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), o balanço da “Petrus”, deflagrada no início desta manhã na capital, que resultou nas prisões.

‘Petrus’

Participaram da coletiva o secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates; o delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, Lázaro Ramos; e o delegado Guilherme Torres, titular da DERFD. Sobre a ação, Bonates parabenizou o trabalho de investigação da especializada.

“O que apresentamos hoje é resultado de dois meses de investigações da equipe da DERFD, que culminou na desarticulação de uma organização criminosa”, disse o titular da SSP-AM.

Denúncias

O delegado-geral, Lázaro Ramos, destacou a importância da atuação da população por meio de denúncias, para que as investigações policiais tenham êxito.

“A colaboração da população é fundamental para que os trabalhos das equipes tenham bons resultados. Ressalto que delações podem ser feitas pela população pelo número 181, o disque-denúncia da SSP-AM. Apresentamos nesta data o primeiro balanço, mas as investigações irão continuar”, explicou Ramos.

Investigação

De acordo com o Guilherme Torres, os desvios ocorriam por meio de funcionários da própria empresa e também de empresas de serviços terceirizados.

Os infratores utilizavam uma balsa menor, conhecida como “bajara”, para efetuar o bombeio de parte do combustível armazenado e, assim, entregavam a um receptador. O lucro era dividido entre os integrantes do grupo, que lavavam o dinheiro na compra de veículos em nome de terceiros, bem como aplicavam na construção de três galpões.

“Durante as investigações, constatamos que o prejuízo chega a R$ 3 milhões. Nesse primeiro momento, conseguimos comprovar documentalmente que chegou a R$ 1,5 milhão. Nesses dois meses de investigação, descobrimos que esse golpe já dura há um bom tempo. Prendemos os líderes, mas a segunda parte será efetuar as prisões dos receptadores”, explicou Torres.

Presos

Durante as diligências foram presos, em cumprimento a mandados de prisão temporária, Adelcimar Ribeiro Dias, 43; Adilson Ferreira Pereira, 25; Elberson Paula Coutinho, 25; Fabio Praiano da Silva, 23; Jaime Feitosa de Lima, 25; Jefferson de Oliveira, 29; Jessé Felipe de Magalhães, 47; Josué de Azevedo Oliveira, 43; Raimundo Monteiro Maia, 43; Pablo Campos de Oliveira, 27; Valdeney Aleluia Soares, 43 e Yago Bentes De Oliveira, 20.

As ordens judiciais foram expedidas no dia 19 de junho deste ano, pela juíza Eulinete Melo Silva Tribuzy, da 11ª Vara Criminal.

Indiciados

Os 12 infratores serão indiciados por associação criminosa, furto qualificado e lavagem de dinheiro. O titular da DERFD ressaltou que irá representar junto à Justiça a conversão dos mandados de prisão temporária para prisão preventiva e ressaltou que as investigações irão continuar para prender os demais envolvidos.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *