Líderes do crime organizado fazem as pazes para enfrentar João Branco e comandar massacre nos presídios

Líderes do crime organizado fazem as pazes

Líderes do crime organizado fazem as pazes. Gelson Carnaúba (esquerda) e Zé Roberto (centro) chegaram a um enfrentamento sangrento, mas os “soldados” deles estavam juntos no massacre de presidiários ligados a João Branco (direita)

Os presidiários José Roberto Fernandes Barbosa e Gelson Lima Carnaúba fizeram as pazes. Eles são conhecidos no submundo do crime como Zé Roberto da Compensa e Mano G. Os dois atuaram em conjunto no massacre de “soldados” de João Pinto Carioca, o João Branco, dias 26/05 e 27/05. A informação é de várias fontes policiais.

Carnaúba comandava um sangrento confronto em Manaus e formou o chamado “Comando Vermelho Amazonas”. Recolhido ao sistema penitenciário federal, ele teria se aproximado de Fernandinho Beira-Mar, líder do CV.

 

Diabetes

Os policiais que monitoram os movimentos do crime organizado não se surpreenderam com o reatamento. “Zé Roberto, que sofre com diabetes e tem alterações terríveis de humor, só ouve o Carnaúba. Zé Roberto chama de ‘pai’ para o comparsa. O confronto das ruas se deu mais entre pessoas leais a João Branco ou Carnaúba. Zé Roberto mais assistiu que se envolveu, exceto no massacre do campo de futebol da Compensa. Ali foi o momento mais grave do confronto Zé Roberto-Carnaúba”, disse uma fonte do portal.

A FDN é dividida pelo comando de territórios, explica a fonte. Zé Roberto lidera a Compensa e João Branco o Mauazinho. Carnaúba, apontado como líder intelectual entre os três, transita por várias zonas.

 

Traição amorosa provocou massacre

O estopim do massacre de 55 presos teria ocorrido por conta de uma história amorosa rocambolesca. O esposo da irmã de um dos três chefes começou a se relacionar com a esposa de outro deles. A irmã traída, ao descobrir o caso amoroso, acionou o irmão para dar uma lição no marido. A esposa traidora, que é pombo-correio do marido, o jogou de encontro aos demais. “João Branco havia transmitido ordem para massacrar soldados de Zé Roberto. Ele descobriu, fez as pazes com Carnaúba e os dois agiram primeiro”, disse a fonte.

O reatamento entre os dois líderes mostra a capacidade de organização e reorganização do crime. Os dois perceberam que João Branco, o mais sanguinário deles, levaria vantagem com a divisão.

Veja também
2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Gilberto disse:

    O bom mesmo, seria todos eles serem jogados ao mer com uma pedra amarrada ao pescoço. Para nunca mais alguém ter noticias.

  2. Veeh oliveira disse:

    Asco dessa corja escoria na sociedade deixe q se matem todos nao faram falta sera limpeza faccao podre todas