Jovem é preso por falsificar certificados escolares da rede estadual

Foto: Divulgação

Após uma denúncia enviada à Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop) da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), um jovem, de 20 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (20), na Zona Norte de Manaus, por vender falsos certificados escolares da rede estadual de ensino. Na casa dele, a polícia encontrou diversos documentos públicos falsificados e uma lista com o nome de possíveis beneficiários pelo esquema.

A informação  que a polícia recebeu era que uma entrega de falsos certificados seria feita em um supermercado localizado na Cidade Nova. Dessa forma, os policiais montaram campana no local e avistaram uma mulher de 49 anos com os documentos. Ao chegar na casa onde funcionava o escritório de falsificação, no bairro Francisca Mendes, a equipe encontrou mais certificados falsificados da Seduc com o nome de diversas escolas.

Ainda segundo a polícia, uma lista com nomes de pessoas que possivelmente compraram os documentos falsos também foi apreendida, além de computadores e impressoras.

O jovem admitiu ser o responsável pelas falsificações. Ele foi preso e levado para o 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foi indiciado por falsificação de documentos públicos. A pena prevista é de reclusão de dois a seis anos, além de multa. Ele já teria sido preso antes, aos 18 anos, com um cartão de crédito clonado após tentar pagar uma corrida de táxi.

A namorada do suspeito, uma adolescente de 15 anos, era responsável pela captação de interessados. Ela e a mulher pega ao fazer a suposta entrega de documentos no supermercado foram encaminhadas ao DIP para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Seduc 

A Seduc enviou uma equipe técnica para a delegacia e confirmou que os documentos apreendidos são falsificados. Os computadores, impressoras, a lista com nomes de possíveis beneficiários, além de mensagens contidas em um telefone celular serão encaminhadas para perícia técnica. Uma cópia da lista apreendida foi entregue a Seduc.

Os nomes contidos na lista serão investigados para verificar se houve a utilização de documentos falsificados. Caso haja a comprovação, os beneficiários do esquema poderão ser indiciados e responderão criminalmente.

Em nota, a Seduc disse que “mantém constante vigilância acerca desse crime de comercialização de certificados, principalmente pelas redes sociais”, além de um “registro rigoroso dos certificados emitidos e controla todo o processo”.

Comentários
Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *