Quatro juízes são promovidos para capital, por merecimento e antiguidade

Quatro juízes são promovidos para capital

Quatro juízes são promovidos para capital, dois por merecimento e dois por antiguidade. Eles chegam à 2ª e última entrância da magistratura amazonense. Cid da Veiga Soares Júnior (na foto comandando audiência pública sobre pesca esportiva) troca Autazes por Manaus

Os juízes Cid da Veiga Soares Júnior e André Luiz Nogueira Borges de Campos deixam o interior e virão para Manaus. Eles foram promovidos à 2ª e última entrância por merecimento. Os juízes Mateus Guedes Rios e Bárbara de Araújo Folhadela chegam à capital por antiguidade. As promoções ocorreram nesta segunda (19/06), no pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Os quatro magistrados passarão a atuar como juízes auxiliares na Comarca de Manaus.

Cid da Veiga Soares Júnior obteve 18 votos do colegiado de desembargadores, concorrendo com nove outros magistrados. Graduado em Direito no ano de 1990, Cid ingressou na magistratura em 2007. Foi titular nas Comarcas de Maraã, Tefé, Urucará e Autazes. Nessa última comarca, conhecida pela pesca esportiva, o magistrado ajudou a criar legislação modelo para outros Municípios, como Barcelos. O foco é a proteção do tucunaré, o alvo dos pescadores esportivos.

O juiz André Luiz Nogueira Borges de Campos obteve 18 votos, contra dez magistrados concorrendo à vaga. André Luiz formou-se em Direito no ano de 2001. Exerce a magistratura desde 2007 e já atuou como titular de Juruá, Barreirinha e Parintins. Respondeu pelas comarcas de Itacoatiara, Nhamundá, Boa Vista do Ramos e Beruri. Em Manaus respondeu pela Vara do Juizado Infracional da Infância e da Juventude e Vara de Execução de Medidas Socioeducativas.

 

Antiguidade

Mateus Rios foi aclamado pelo Pleno concorrendo à vaga com outros 11 magistrados, pelo critério de antiguidade. Ingressou na magistratura em 2007 e atuou como titular de São Gabriel da Cachoeira, Canutama e Beruri. Respondeu, cumulativamente, por Tapauá, Codajás e, em Manaus, pelo Juizado da Infância e da Juventude Infracional.

Bárbara Folhadela também foi aclamada pelo Pleno do TJAM ao concorrer à vaga com outros 12 magistrados por antiguidade. Graduou-se em Direito em 2003 e é magistrada desde 2007. Atuou como titular de São Paulo de Olivença, Amaturá, Atalaia do Norte e Anori.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *