Delegado Sotero, que matou advogado, tem primeira audiência marcada no TJAM

Há 60 dias na carceragem da Delegacia Geral da Polícia Civil, o delegado Gustavo Sotero, preso por atirar e matar o advogado Wilson Justo, 35, teve a audiência de instrução e julgamento marcada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Foto: Reprodução

Há 60 dias na carceragem da Delegacia Geral da Polícia Civil, o delegado Gustavo Sotero, preso por atirar e matar o advogado Wilson Justo, 35, teve a audiência de instrução e julgamento marcada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

A audiência foi marcada para o dia 14 de junho, quando será feita a instrução processual, com interrogatório de testemunhas arroladas no caso.

Homicídio

Sotero foi denunciado por homicídio triplamente qualificado em denúncia oferecida pelo Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) a aceita pela juíz Mirza Telma de Oliveira, do 1º Tribunal do Júri, em dezembro.

O delegado está preso desde a madrugada do dia 25 de novembro, quando atirou dentro do Porão do Alemão, zona Oeste, acertando fatalmente o advogado e ferindo outras três pessoas, entre elas a esposa da vítima.

Defesa

Segundo a denúncia, “há indícios suficientes de autoria” por parte de Sotero. A defesa solicitou na Justiça reconstituição simulada dos fatos para elucidar dúvidas e a dinâmica dos fatos.

O advogado Wilson Justo Filho, 35, morreu após ser baleado dentro do Porão do Alemão. Ficaram feridos no mesmo dia a esposa da vítima, Fabiola Rodrigues Pinto de Oliveira, 31, atingida na perna esquerda; Yuri Paiva, 45, ferido no abdômen; e Maurício Rocha, 35, que foi atingido no dorso esquerdo.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.