Terça, 17 de julho de 2018

Programa Diário da Manhã


Ouvir a Rádio Diário Ao Vivo

Operação Traíra desarticula organização suspeita de desviar R$ 7,8 milhões em fraudes entre Fepesca e Governo

MP deflagrou na manhã desta quinta a Operação Traíra, para desarticular organização criminosa que fraudava convênios firmados entre a Federação de Pescadores e o Governo. O presidente da Fepesca é Walzenir Falcão. Foto: Divulgação

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou na manhã desta quinta-feira (7), a Operação Traíra, para desarticular uma organização criminosa que fraudava convênios firmados entre a Federação de Pescadores do Estado do Amazonas e Roraima (Fepesca) e o Governo do Amazonas.

A ação tem como base a investigação sobre oito convênios firmados entre o Estado e a Fepesca, entre 2009 e 2014, e apura as evidências da prática dos crimes de peculato, lavagem de capitais e organização criminosa.

Estão sendo cumpridos 26 mandados de busca e apreensão em Manaus e em Manacapuru, nas sedes das empresas envolvidas nos convênios, da Fepesca e nas residências de sócios dirigentes e contador da federação.

Foi pedido e deferido o sequestro de R$ 7.850.000, que podem ter sido desviados na execução desses convênios, como forma de recompor o dano sofrido pelo erário.

Investigação

Nos convênios citados, o Estado do Amazonas repassou à Fepesca R$ 7,85 milhões, que seriam destinados ao projeto “Pescando Cidadania” e beneficiaria um total de 9.600 pescadores artesanais associados às colônias de pescadores vinculadas à instituição.

Cada contrato era destinado a capacitar 1.200 pescadores em vários municípios do interior do Estado. Os convênios foram firmados por meio da Secretaria de Trabalho do Estado do Amazonas (Setrab), órgão para quem a Fepesca apresentou suas prestações de contas e cuja investigação, iniciada pela 13ª Promotoria da Proteção do Patrimônio Público, serviu de ponto de partida para a identificação de várias ilegalidades praticadas.

Os oito convênios investigados tiveram o valor de R$ 850 mil, no primeiro, e de R$ 1,1 milhão, nos demais, sendo R$ 1 milhão a serem desembolsados pelo poder público em favor da federação de pescadores; e R$ 100 mil pela federação, como contrapartida.

A partir do convênio 002/2012, os gastos da Fepesca para a execução dos convênios passaram a se concentrar em nove empresas, variando entre sete e quatro pessoas jurídicas por contrato, fugindo completamente do padrão apresentado nos convênios 002/2009, 004/2010 e 009/2011, em que foram identificadas 28 empresas como fornecedoras.

Fachada

Ao buscar as sedes dessas empresas, os investigadores perceberam algo de errado, já que as sedes não correspondiam aos locais de funcionamento das mesmas, mas sim a imóveis residenciais.

Era a indicação de funcionamento de fachada, confirmado posteriormente pela inexistência de empregados cadastrados, ausência de alvará de funcionamento e emissão de notas fiscais de venda de produtos e serviços em quantias “estratosféricas” incompatíveis com as compras de produtos e serviços dessas mesmas empresas.

Mesmo as empresas sendo de sócios diferentes, pelo menos seis delas apresentavam o mesmo e-mail de contato e quatro o mesmo número de telefone nos cadastros das notas fiscais.

Além disso, as Secretarias de Fazenda do Estado (Sefaz) e de Finanças do Município (Semef) atestaram que várias das notas fiscais apresentadas nas prestações de contas eram inidôneas, demonstrando que o recurso estatal destinado à Fepesca foi desviado da finalidade estabelecida do convênio.

Em razão disso, foram requeridas medidas cautelares à 6ª Vara Criminal da Capital que, por meio da decisão da juíza Anagali Marcon Bertazzo.

Traíra

Traíra é um peixe voraz, de dentes afiados, extremamente liso e escorregadio que habita locais de água parada e com vegetação aquática abundante, configurando em uma referência ao modo de agir da quadrilha.

Veja também

Na festa da Padroeira de Parintins, Braga anuncia que será o relator do orçamento do Ministério das ... “Assim que terminarem as eleições deste ano, volto para o Senado Federal para ser o relator do Orçamento de 2019 do Ministério das Cidades”. A revelação foi feita pelo senador Eduardo Braga, na manhã desta segunda-feira (16/07), durante entrevista a emissoras de rádio em...
Marcelo Amil lança pré-candidatura ao Governo pelo PMN O vereador Chico Preto é pré-candidato ao Senado e Marcelo Amil disputará o Governo do Estado pelo PMN. Foto: Divulgação O advogado Marcelo Amil foi lançado, nesta segunda-feira (16/07), como pré-candidato a governador pelo Partido de Mobilização Nacional (PMN), nas elei...
Amazonino busca alianças, mas sem apetite para governar o círculo limitado derrubará o dominó chinês... Amazonino busca alianças, mas sem apetite para governar ele corre o sério risco de derrubar o dominó chinês que precisa ficar de pé para reelegê-lo O governador Amazonino Mendes sempre se mostrou especialista na "guerra com a espada embainhada". Antes do confronto propri...
Prefeitura de Manaus lança edital para implantação de curso de artes na Zona Leste Foto: Divulgação Está aberto o edital de chamamento público nº 07/2018, da Prefeitura de Manaus, destinado a Organizações da Sociedade Civil (OSCs) interessadas em implantar e desenvolver o projeto "Cursos Livres em Artes na Comunidade". O edital foi publicado na edição 43...
Sexta Alfredo e Pauderney com Amazonino e sábado com Omar. O que houve? E mais o panavueiro das pesq... Sexta Alfredo e Pauderney com Amazonino e sábado com Omar. O que houve? Pauderney (esquerda) e Alfredo (direita) são pré-candidatos a senador e correm atrás de apoios, como o de Silas Câmara (centro) que se definiu por Omar Aziz. Entenda o panavueiro Os deputados federai...

2 comentários para “Operação Traíra desarticula organização suspeita de desviar R$ 7,8 milhões em fraudes entre Fepesca e Governo

  1. J.S.Braga disse:

    Muito importantes e necessarias permanentes ações para investigações promovidas pelo MP e outros no rastreamento da veracidade desses convênios, muito principalmente em se tratando de dinheiro destinado a pessoas tão sofridas como os pescadores que vêem ser subtraídos um mínimo necessário em auxílio a manutenção de suas vidas parar na mão de costumes ladrões do parco dinheiro público.

  2. muito bom parabens pelo artigo nota 10 super recomendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook