Colégio da PM ouve pais de meninas surpreendidas bebendo fardadas e vai interpelar Manauara Shopping. Veja fotos exclusivas

meninas2

Crianças foram expostas, sem as máscaras obrigatórias, nas mídias sociais

As fotos de duas meninas, fotografadas bêbadas nas dependências do Manauara Shopping, terça-feira (17/05), foram parar nas redes sociais. A publicação fere o disposto no Código da Criança e do Adolescente (ECA), que proíbe identificar, por fotos, vídeos ou mesmo texto, menores em situação constrangedora. Um vídeo, feito na passarela em frente ao estabelecimento, no momento em que elas estavam saindo, às quedas, sob os olhares de diversos transeuntes que nada fizeram, também foi publicado. Agora, a Polícia Militar (PM) quer explicações.

As duas estavam usando fardas do colégio da PM no bairro de Petrópolis, o Colégio Militar da Polícia Militar Primeiro (CMPMI). “Elas não foram à aula nesse dia e estavam (consumindo álcool) em companhia de colegas de outras escolas, públicas e particulares”, disse o tenente-coronel Peter Schmidt, responsável pela comunicação da PM. O grupo ficou no shopping desde o começo da tarde e as fotos e o vídeo foram tirados por volta das 17h, segundo o policial.

“Nossa 2ª seção, que cuida de investigações desse tipo, já foi acionada no caso e está dentro do prazo para apresentar as conclusões. Mas não dá nem para dizer que a câmera usada para fazer as fotos não é do shopping”, disse o tenente-coronel.

As crianças, provavelmente por constrangimento, não compareceram mais às aulas. Hoje (19/05), no fim da tarde, os pais estão sendo esperados para uma reunião com o diretor do CPMI, tenente-coronel César Gomes. “Tenho encontro agendado com a gerência do Manauara, amanhã (seta, 20/05), às 9h, para buscar explicações do ocorrido, como a razão do vazamento das fotografias”, disse Peter Schimdt.

O fato chamou atenção por ter ocorrido na véspera do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil de Crianças e Adolescentes, o 18 de maio. Na mesma data, numa revista feita por policiais militares no CMPM Nilton Lins, no bairro do Parque das Laranjeiras, foram encontradas drogas em quatro mochilas de alunos.

Peter Schimdt explicou que está sendo desenvolvido um aplicativo para facilitar o monitoramento da entrada e saída das crianças da escola. “Essa responsabilidade os pais não podem delegar a ninguém. O programa será municiado com a frequência diária e os responsáveis poderão saber se os alunos estão demorando mais que o normal a voltar para casa. Tudo deve estar pronto em 30 dias”, disse.

Segundo uma fonte do portal, a família também pretende acionar o shopping, alegando que os filhos foram expostos em situação constrangedora pelo estabelecimento. A Promotoria da Infância e Adolescência, do Ministério Público Estadual (MPE), também vai apurar o fato.

 

Confusão com a droga “docinho”

droga-docinho

a droga “docinho” chegou a ser associado a esse caso, mas não têm relação

Também circula, nas redes sociais, principalmente whatsapp e FaceBook, um alerta aos pais sobre um novo método usado por traficantes para viciar crianças e adolescentes. Trata-se da distribuição de balas coloridas, conhecidas como “docinho”, que conteriam entorpecentes.

As primeiras publicações a respeito, ocorridas há semanas, falavam que esse tipo de droga teria sido encontrado num local citado apenas como “Santana” (existe uma cidade com esse nome no Amapá, onde funciona Zona de Livre Comércio). Depois, com as fotos das meninas encontradas no Manauara, o episódio foi maldosamente relacionado ao “docinho”, embora uma coisa não tenha, pelo menos aparentemente, nada a ver com a outra.

A assessoria do Manauara Shopping, acionada pelo portal, enviou a seguinte resposta:

Comunicado

Em relação ao questionamento do www.portaldomarcossantos.com.br quanto ao ocorrido com estudantes na passarela da Av. Jornalista Umberto Calderaro Filho, no dia 17 de maio, o Manauara Shopping informa que está à disposição das autoridades para colaborar na investigação do caso.

A administração

 

Veja a nota da PM a respeito e, abaixo, fotos exclusivas:

NOTA DA PM

A Polícia Militar do Amazonas, por meio da Diretoria de Comunicação Social (DCS), Informa, quanto às meninas que tiveram fotos e vídeos divulgados em mídias sociais com sintomas de embriaguez, que as mesmas encontravam-se fora do ambiente escolar, e, mesmo que fardadas com uniforme do CMPM, conduta inapropriada de acordo com o regulamento da escola, encontravam-se fora da supervisão da instituição militar, cabendo, portanto, aos pais e responsáveis a justificativa para o comportamento inadequado das jovens.

Quanto às afirmações sobre o suposto consumo de drogas ilícitas por parte das jovens, não compete a Polícia Militar os pareceres clínicos, bem como perícia médica.

Informamos ainda que nenhum responsável pelas jovens procurou a PMAM, para registrar o fato.

DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA POLÍCIA MILITAR DO AMAZONAS

 

criancas-shopping

Estas e as demais fotos, a seguir, mostram como as crianças circularam no shopping, após “gazetarem” a aula

criancas-outros2

A mesa tinha vários meninos também

criancas-outros

Momento em que a segurança expulsou o grupo do shopping

criancas-mesa

A mesa mostra que a bebida que eles estavam consumindo dava mesmo para derrubar até adultos

PUBLICIDADE
Veja também
10 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Ligiane Oliveira disse:

    Crianças, crianças, crianças????????
    Gazetando, passeando, crianças???

  2. Meu deus..essa crianças de hj em dia ..em ..so Deus nao causa:o

  3. Suh disse:

    Kkkkkkkk crianças o crlh
    Um bando de desocupado fazendo vergonha pros país
    Isso é falta de surra!!!!!!

  4. elaine disse:

    querer culpar os outros pela educação dos seus filhos é fácil, me poupe, quem tem que corrigir e saber onde seus filhos estão são os pais

  5. Lorena Souza disse:

    O Manauara deve ser responsabilizado tbem, por permitir menores consumirem bebidas alcoólicas dentro das dependências, os pais também por darem liberdade, sem impor responsabilidades, se e uma escola militar, publica ou particular e os menores estavam fardados, as alunos e os pais deveriam receber advertência. Acho que deveria ser dever de todas as escolas disponibilizar informações sobre moral e bons costumes e sobre os malefícios do álcool e das drogas, pois são substâncias que são oferecidas e descobertas na adolescência, na maioria das vezes.

  6. Carlos Tavares disse:

    Gente, quem nunca fez algumas mer.. na vida e com certeza o diálogo com os envolvidos é uma boa solução e a escola perdoa-los pois com certeza não farão mais.

  7. ana disse:

    Responsabilidade de quem vendeu, quem deixou esses meninos beberem na praça de alimentação, e dos pais que não monitoram os seus filhos. O erro da direção do shopping foi não reterem esses meninos na sala e terem chamado o consellho tutelar, aí quero ver, e se fosse minha filha, continuaria levando pra escola, pra aguentar os comentários e nunca fazer essas bobagens. Essa geração fazem esse tipo de coisa porque são mimados e sem falta de limite. E outra coisa não são crianças, são adolescentes fazendo vexame para os pais.

  8. Josivaldo disse:

    Pqp em pensar que antigamente gazetavamos aula pra brincar de bola ou de manja ou pra joga vídeo game e tínhamos o maior medo do mundo se nossos pais pegasse

  9. Heber junior disse:

    Hoje os adolescentes fazem o que bem entende por causa do estatuto da criança.Esses adolescentes sabem que isso e errado mas fazem e vao tudo novamente.Porque culpa o shopping ,E exime a culpa dos adolescentes.
    Hoje Menores fazem tudo que coisa errada e contra a lei e não acontece nada.
    Tem haver diminuição da idade penal.O menor pode vota e outros direitos adquiridos ,porque não pagar com seus erros pois eles tem consciência que estao praticando crimes..E minha opinião