Quarta-feira, 25 de abril de 2018

Juiz condena shopping Millenium a indenizar mulher que ficou presa em elevador

Juiz condenou Millenium a pagar indenização por danos morais a cliente que ficou presa em elevador do empreendimento. Foto: Divulgação

O juiz Alexandre Henrique Novaes de Araújo, titular da 10ª Vara do Juizado Especial Cível da Comarca de Manaus, condenou o shopping Millenium a pagar indenização por danos morais a uma cliente que ficou presa em um dos elevadores do edifício, situado no bairro da Chapada, zona Centro-Sul, durante uma pane no equipamento.

Ao fixar o valor da indenização em R$ 8 mil – com correção monetária (INPC) e juros moratórios de 1% ao mês –, o magistrado afirmou que buscou observar os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. Da decisão ainda cabe recurso.

Hipertensa

Conforme o processo 0601952-24.2017.8.04.0020, a autora da ação alegou que ficou presa durante 30 minutos no elevador do prédio e que, por ser hipertensa, passou mal, tendo sido “submetida a situação vexatória”.

Ao apresentar defesa, a direção do shopping alegou ter envidado todos os esforços para sanar o problema, afirmando que foi de 13 e não de 30 minutos o tempo de permanência da cliente no elevador.

Ao decidir em favor da autora da ação, no entanto, o juiz Alexandre Novaes considerou que houve falha na prestação dos serviços por parte do empreendimento, o qual não conseguiu provar, por exemplo, que houve queda do fornecimento de energia elétrica no momento em que a cliente fazia uso do elevador”.

Lapso de tempo

“Entendo que sociedade ré não logrou êxito em demonstrar ter amparado a autora de forma devida, não sendo necessário, na atual conjuntura, maiores digressões acerca do tempo em que esta permaneceu presa no elevador”, pontuou o magistrado.

Ainda sobre a questão do tempo, o juiz acrescentou que “sendo treze ou trinta minutos, a verdade é que o lapso temporal em que o consumidor permanece preso em um elevador é por demais agonizante, quase uma eternidade, sobretudo quando o cliente já demonstra possuir quadro de saúde fragilizado – o que perfaz ser o caso dos autos.

Destacou o magistrado, também, que “o tempo em que o requerido alega ter realizado o procedimento de retirada da autora da cabine (13 minutos), não pode ser considerado ínfimo, de modo que, repita-se, qualquer minuto preso no elevador já acarreta ao consumidor temor suficiente para justificar o dever de indenizar”.

Indenização

Ao embasar a decisão, o magistrado disse que a indenização por danos morais é constitucionalmente assegurada, como forma de proteção à honra, à intimidade e à privacidade, conforme o artigo 5°, incisos V e X da Constituição Federal de 1988.

O juiz afirmou, no texto da sentença, os artigos 186 – segundo o qual “aquele que, por omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito – e 927 da CF, o qual reforça que “aquele que, por ato ilícito, causar dano a outra pessoa, fica obrigado a repará-lo”.

Veja também

Primeiras testemunhas de acusação são ouvidas no caso Deusiane. PM foi morta dentro de quartel em po... Justiça ouve testemunhas do caso na primeira audiência, que demorou cinco horas, aproximadamente. Foto: Raphael Alves/ TJAM O juiz de Direito Luís Márcio Albuquerque, que responde pela Vara da Auditoria Militar da Comarca de Manaus, ouviu nesta terça-feira (24) o depoime...
TJAM condena Manaus Energia a indenizar cliente em R$ 5 mil por cobrança indevida Apelação teve como relator o desembargador Jorge Chalub, cujo voto foi pela condenação da empresa a indenizar cliente por cobrança indevida. Foto: Arquivo TJAM A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (TJAM) negou provimento a um recurso de apelação interposto pela empre...
Justiça determina ingresso de enfermeiro paraplégico aprovado em concurso da Susam Estado foi condenado a indenizar autor da ação em R$ 10 mil a título de danos morais. Enfermeiro sofreu acidente após passar em concurso público. Foto: Divulgação A 3ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Amazonas negou provimento a um Recurso Inom...
Juiz determina que Prefeitura de Tefé inicie obras emergenciais de asfaltamento sob pena de multa di... Juiz Luíz Cláudio Chaves concedeu liminar em ação civil pública para que prefeitura realize serviços emergenciais de tapa-buraco e recapeamento em Tefé. Foto: Arquivo TJAM A Prefeitura Municipal de Tefé (distante a 523 quilômetros de Manaus) deverá realizar de forma emer...
OAB-AM recebe 34 inscrições para o Quinto Constitucional. Confira a lista Advogados se inscreveram para candidatura à lista sêxtupla para o cargo de desembargador pelo quinto constitucional. Foto: Igor Braga/ TJAM A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM) finalizou, nesta segunda-feira (23), o prazo para que os advogados fize...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook