Justiça ainda não analisou pedido de transferência de políticos para presídio federal

Desde ontem o ex-governador José Melo e a ex-primeira-dama Edilene Oliveira estão na penitenciária do KM 8 da BR-174. Foto: Divulgação

Passados 18 dias do pedido de transferência dos presos preventivamente na operação Custo Político, desdobramento da Maus Caminhos, para presídios federais, a Justiça Federal ainda não se manifestou sobre a solicitação feita pelo Ministério Público Federal (MPF).

Até a manhã desta sexta-feira (5), a Justiça não tinha decisão sobre o pedido encaminhado no dia 18 de dezembro. Na solicitação, a transferência citava especialmente os ex-secretários Afonso Lobo (Sefaz), Evandro Melo (Sead), Wilson Alecrim (Saúde) e Pedro Elias (Saúde), mas pode se estender ao ex-governador José Melo e à sua esposa, Edilene Oliveira, cuja prisão preventiva foi decretada nesta quarta (3).

Centro de Detenção

Todos estão detidos no complexo do Centro de Detenção Provisória, no KM 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista). Os homens estão no CDPM II e a ex-primeira-dama no CDPF.

No pedido, feito pelo procurador da República Alexandre Jabur e encaminhado à juíza federal da 4ª Vara da Seção Judiciária do Amazonas, se alega que a própria Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) informou que a segurança dos presos estava em risco no sistema, o qual “não possui local adequado para resguardar a integridade física dos mesmos”.

Alvo de facção

Na representação, o MPF cita informação da Seap de que em caso de “eventual crise no sistema, certamente, os custodiados serão um dos principais alvos das facções criminosas, caso estejam custodiados em estabelecimento prisional comum”.

A sugestão de transferência dos detidos para unidades da Polícia Militar foi negada pela Justiça, pois não são estabelecimentos penais e não tem estrutura adequada para o recebimento dos presos.

Conforme o procurador, a permanência no sistema estadual “acarreta risco à vida e à integridade física dos mesmos”, e que os estabelecimentos penais federais não são destinados apenas a presos de alta periculosidade, mas também como meio de resguardo ao preso em risco.

Corrupção

A Operação Custo Político investiga crimes de corrupção ativa, de corrupção passiva, de lavagem de capitais e de organização criminosa.

Nesta fase, foram cumpridos três mandados de prisão preventiva, 9 mandados de prisão temporária, 27 conduções coercitivas, 27 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de sequestro de bens móveis e imóveis, incluindo uma aeronave Cessna560 XLS.

A Justiça determinou o bloqueio dos bens e valores dos investigados no montante de aproximadamente R$ 67 milhões visando o futuro ressarcimento do Estado.

Crimes

Os crimes eram praticados por membros da organização criminosa alvo da primeira fase que, utilizando-se dos recursos públicos desviados do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas, realizavam pagamentos de propina a agentes políticos e servidores públicos.

O objetivo do grupo era obter facilidades dentro da Administração Pública estadual, tais como agilizar a liberação de pagamentos, obtenção de contratos públicos e o encobrimento dos ilícitos praticados.

O nome da Operação Custo Político é uma referência à expressão utilizada pelo empresário Mouhamad Moustafa para denominar as vantagens indevidas (propinas) pagas aos ex-secretários e outros servidores públicos.

Confira na íntegra: Pedido de transferência de presos

Veja também

Polícia Federal conclui inquérito da operação Custo Político que prendeu cinco ex-secretários de Jos... A Polícia Federal concluiu o inquérito referente às investigações da Operação Custo Político, deflagrada em 13 de dezembro de 2017 e que resultou na prisão dos ex-secretários de Estado da Saúde, Wilson Alecrim e Pedro Elias, da Fazenda, Afonso Lobo, de Governo Evandro Me...
José Melo desviou os 30% da saúde federais. E o resto? Cadê a investigação do dinheiro do Estado?... José Melo desviou os 30% da saúde federais, mas o que saiu dos cofres estaduais é maior e a sensação do contribuinte é de que essa parte não tem fiscalizaçãoSabe um cipoal de números, tabelas e rubricas? É o portal da transparência do Governo do Amazonas. Outro, pouco m...
Violação de direitos de imigrantes venezuelanos no Brasil será tema de missão do CNDH Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) irá em missão aos estados do Pará, Amazonas e Roraima para verificar a situação dos direitos humanos dos imigrantes venezuelanos que têm ingressado no território. Foto: DivulgaçãoDe 18 a 26 de janeiro, o Conselho Nacional do...
Parceria entre Cetam e Seap oferece curso de ressocialização a detentos e egressos do sistema prisio... O Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), deu início, nesta segunda-feira (15/01), ao curso de “Manipulação de Alimentos” para 42 detentos do regime aberto da Casa do Albergado de Man...
Sifuentes entra em férias e liminar pedida por José Melo será decidida por Leão Alves Melo e Edilene estão no presídio comum, em celas isoladas. Foto: DivulgaçãoA desembargadora Monica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região de Brasília (TRF1), relatora do Habeas Corpus do ex-governador José Melo e da sua esposa, Edilene Oliveira, entrou de ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook