Raul Zaidan, Mouhamad Moustafa, Keytiane e José Duarte deixam presídio às 6h deste sábado (23/12)

Zaidan, Mouhamad, Keytiane e Duarte deixam presídio

Raul Zaida (foto) e Mouhamad Moustafa deixam a cadeia às 6h

O juiz federal Wendelson Pereira Pessoa indeferiu o pedido de prisão preventiva contra Mouhamad Moustafa, Raul Zaidan, José Duarte dos Santos Filho e Keytiane Evangelista. Zaidan foi secretário estadual chefe da Casa Civil desde o Governo Eduardo Braga. Mouhamad, dono do Instituto Novos Caminhos, é apontado como executor de esquema de propina no Governo do Estado. Duarte é ex-secretário executivo da Susam e braço direito de Wilson Alecrim. Keytiane foi a “mulher do orçamento” da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz).

Com a decisão do magistrado plantonista, os quatro presos deverão retornar para casa já a partir das 6h deste sábado (23/12).

Afonso Lobo, Pedro Elias, Wilson Alecrim e Evandro Melo permanecem presos, preventivamente, no CDP II. O ex-governador José Melo, preso na quinta-feira (21/12), durante a operação Estado de Emergência, também continua na unidade prisional.

 

Risco

Com o pedido, PF e MPF tentavam converter a prisão temporária dos quatro presos em preventiva. Sustentaram que soltar Zaidan e os demais colocaria em risco ordem pública e instrução criminal. O juiz entendeu não haver novos elementos probatórios para decretação das preventivas.

Ainda no despacho, o magistrado destaca que, em meio às provas da Maus Caminhos, não foi identificado repasse a Zaidan. Não efetuados por Moustafa ou Priscila Marcolino. Encontros do empresário com o ex-chefe da Casa Civil, gravações ou mensagens não provam pagamento de propina ao investigado.

 

Zaidan, Mouhamad, Keytiane e Duarte deixam presídio por falta de provas

O juiz observa ainda que não há indícios robustos de que Zaidan recebia propina mensalmente ou com habitualidade. O magistrado conclui informando que Zaidan não era responsável por efetuar os pagamentos às empresas de Moustafa. São necessários elementos mais robustos para comprovar influência de Zaidan sobre demais secretários nos pagamentos ao chefe da organização criminosa.

Sobre Moustafa e Duarte, magistrado informa que não há novos elementos para justificar a conversão da prisão temporária em preventiva.

 

Tentativa de retirar Maus Caminhos do juízo federal

Os agentes localizaram minuta de documento do Governo afastando a jurisdição federal na investigação da Maus Caminhos. Evidências foram encontradas pela PF no computador de Zaidan. O achado foi classificado como atividade delituosa e sustentação para prorrogação da prisão temporária. Ele ficaria preso por mais cinco dias, conforme prevê a legislação penal.

Zaidan ficou dez dias preso em cela especial no Centro de Detenção Provisória II, localizado na BR 174. Por ser advogado, ele assegurou prerrogativa para uma acomodação diferenciada, prevista em lei. A OAB-AM tentou revogar a prisão de Raul, mas a juíza Ana Paula Serizawa indeferiu o pedido da seccional.

Confira aqui a decisão do magistrado.

 

Veja também

Polícia Federal conclui inquérito da operação Custo Político que prendeu cinco ex-secretários de Jos... A Polícia Federal concluiu o inquérito referente às investigações da Operação Custo Político, deflagrada em 13 de dezembro de 2017 e que resultou na prisão dos ex-secretários de Estado da Saúde, Wilson Alecrim e Pedro Elias, da Fazenda, Afonso Lobo, de Governo Evandro Me...
José Melo desviou os 30% da saúde federais. E o resto? Cadê a investigação do dinheiro do Estado?... José Melo desviou os 30% da saúde federais, mas o que saiu dos cofres estaduais é maior e a sensação do contribuinte é de que essa parte não tem fiscalizaçãoSabe um cipoal de números, tabelas e rubricas? É o portal da transparência do Governo do Amazonas. Outro, pouco m...
Sifuentes entra em férias e liminar pedida por José Melo será decidida por Leão Alves Melo e Edilene estão no presídio comum, em celas isoladas. Foto: DivulgaçãoA desembargadora Monica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região de Brasília (TRF1), relatora do Habeas Corpus do ex-governador José Melo e da sua esposa, Edilene Oliveira, entrou de ...
Justiça aguarda informações do MP para julgar recurso de liberdade para José Melo e Edilene A desembargadora do TRF1 Monica Sifuentes aguarda resposta da Procuradoria da República para analisar recurso. Foto: DivulgaçãoA relatora do recurso que pede a soltura do ex-governador José Melo (PROS) e de sua esposa, Edilene Oliveira, desembargadora do Tribunal Region...
Desembargadora pede informações para decidir sobre liberdade de Melo e Edilene A desembargadora Mônica Sifuentes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região de Brasília (TRF1), solicitou nesta sexta-feira (12) à Justiça Federal do Amazonas pedido de informações sobre a prisão do ex-governador cassado José Melo e da ex-primeira-dama Edilene Oliveira, det...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook