“Estado de Emergência” confirma pagamento de propina a José Melo dentro da organização criminosa da Maus Caminhos

José Melo teve a prisão temporária decretada durante investigações e desdobramentos da Maus Caminhos, sendo detido em casa. Foto: Arquivo

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas, como o apoio da Controladoria Geral da União (CGU), deflagrou nesta quinta-feira (21), a terceira fase da Operação Maus Caminhos, denominada Operação Estado de Emergência, que tem como objetivo investigar os crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais e de organização criminosa, envolvendo o ex-governador do Estado.

Nesta fase foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária, em Manaus e em Rio Preto da Eva. O ex-governador do Amazonas, José Melo, foi detido em sua residência. Na sede da PF haverá uma coletiva de imprensa às 12h30.

Pagamento de propina

A investigação abrange os crimes praticados pelos membros da organização criminosa alvo da primeira fase que corromperam diversos agentes públicos do Estado do Amazonas, por meio do pagamento de propina, utilizando-se de recursos públicos desviados do Fundo Estadual de Saúde, para o fim de obter o direcionamento de contratos, acelerar a liberação de pagamentos e acobertar os ilícitos praticados.

O nome Estado de Emergência é uma referência à situação de calamidade pública que se encontrava a prestação de serviços públicos de saúde no Estado, sendo decretado pelo então governador, em 31 de agosto de 2016, o estado de emergência econômica na saúde estadual, mês anterior à deflagração da primeira fase da Operação Maus Caminhos.

Ex-secretários presos

Na ocasião criou também o Gabinete de Crise, composto pelas secretarias Estaduais de Saúde, da Casa Civil, da Fazenda e de Administração e Gestão, cujos secretários foram presos na Operação Custo Político, deflagrada na semana passada, que teve como alvo ex-secretários estaduais e empresários.

Os fatos relacionados ao envolvimento do ex-governador do Estado somente apareceram após o avanço da investigação e dão conta de que o chefe maior do executivo estadual recebia pagamentos periódicos dos membros da organização criminosa.

Veja também

MPF recomenda anular licenças e planos de manejo sobre áreas de proteção federais e indígenas no AM... MPF recomendou ao Ipaam anular todas as licenças ambientais e autorizações para extração de maneira em unidades de conservação ou terras indígenas no Estado. Fotos: DivulgaçãoO Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (I...
Ex-secretários Evandro Melo e Pedro Elias são presos novamente Os ex-secretários Evandro Melo (Sead), irmão do ex-governador José Melo, e Pedro Elias (Saúde) foram presos nesta sexta-feira (9), pela Polícia Federal. Eles haviam sido detidos preventivamente no dia 13 de dezembro, na Operação Custo Político.A dupla havia sido benefici...
Polícia Federal muda Base Anzol para porto do Voyager em Tabatinga Foto: DivulgaçãoA Superintendência da Polícia Federal no Amazonas fez remanejamento da Base Anzol, em Tabatinga (distante 1.107 quilômetros de Manaus), que agora está atracada no porto do Voyager. Vistorias noturnas Em nota, a PF explicou que a mudança de localização ...
Saiba quem é o principal empresário do World Trade Center Manaus que teve bens bloqueados Gilberto Bomeny é o principal nome envolvido no escândalo da construção do WTC em Manaus, que não teve um tijolo erguido. Foto: DivulgaçãoPela segunda vez o empresário com fama de megalomaníaco Gilberto Bomeny, 78, teve os bens bloqueados pela Justiça por não ter constr...
Bloqueados bens de empresários que receberam dinheiro e não fizeram Centro de Convenções ao lado de ... A pedido do MPF, Justiça determinou o bloqueio de cerca de R$ 156 milhões de empresa da rede hoteleira pago pela extinta Sudam para o projeto do WTC Manaus. Foto: ArquivoA pedido do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, a Justiça determinou o bloqueio dos bens d...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *