Arthur manda carta aberta a Alckmin e revela ‘pegadinhas’ da convenção nacional do PSDB

Arthur manda carta aberta

Arthur manda carta aberta ao governador Geraldo Alckmin. Ele demonstrava cara de poucos amigos na convenção do PSDB

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, retorna da Convenção Nacional do PDSB. E envia Carta Aberta ao governador de São Paulo, presidenciável e agora presidente nacional de seu partido, o PSDB. Arthur exige as prévias. Revela que o ato, em que tucanos pensavam iniciar marcha rumo à Presidência da República, pareceu assembleia estudantil: não queriam colocar o presidenciável amazonense na mesa. Diminuíram o som quando ele falou. E foi uma claque paulista que o vaiou, até ser convencida pelo discurso e aplaudi-lo.

As acusações são graves. Um deputado mineiro foi proibido de subir ao palco, para cumprimentar o ex-presidente Fernando Henrique. Quando uma senhora disse que não podia subir ele respondeu, denuncia o prefeito de Manaus: “Eu sei que não posso. Não sou paulista”. O PSDB tem sofrido com a pecha de feudo paulista.

O prefeito acusa a postura que denuncia de não estar à altura de alguém (Alckmin) que pretende ser presidente. E finaliza com um vaticínio igualmente duro: ” Enfim, companheiro, enfrente-me em campo aberto. Ou perderemos mais uma eleição e nos tornaremos cada vez mais irrelevantes na cena política brasileira.

Veja a Carta Aberta de Arthur Virgílio ao governador de São Paulo e agora também presidente nacional do PSDB. Geraldo Alckmin.

“Caro Geraldo,

Na reunião da última sexta feira, dia 08 deste mês, patrocinada pelo Tasso (Jereissati), decidimos, você e eu, sobre os seguintes pontos:

*O PSDB realizará prévias para escolha do seu candidato à Presidência da República nas eleições de outubro de 2018. “Prévias amplas, gerais e irrestritas”, abertas, portanto, a todos os filiados ao partido que nele militem há, pelo menos, um ano.

Hoje leio declaração do ex-presidente interino Alberto Goldman dizendo ser impossível tal realização democrática, numa linha de argumentação que não me convence e, sem dúvida, convence, menos ainda, o povo brasileiro.

Confio que sua palavra é, foi e será definitiva. Espero que o ilustre companheiro declare, em alto e bom som, que as prévias acontecerão e que oportunidades iguais serão dadas aos dois postulantes à indicação para a disputa presidencial;

Pediu dados dos filiados e não recebeu

Falando em igualdade, repiso que, há meses, requisitei formalmente, à direção nacional, a lista com nome, e-mail, telefones e endereço de cada filiado ao PSDB. Como não obtive êxito, repito a você a justa reivindicação. Tão justa, que poderia, até mesmo, seguir em tom de cabível exigência. Gente com vocação para a vitória, afinal, não usa de escapismos para fugir a um enfrentamento saudável e necessário;

Do mesmo modo, acertamos, eu e você, que a pré-campanha, certamente, haveria de contar com recursos do fundo partidário, divididos em partes milimetricamente iguais entre as suas atividades e as minhas;

Finalmente, realizaríamos pelo menos “dez debates, nas mais estratégicas cidades brasileiras. Debates respeitosos, porém duros, que exporão o PSDB, com seus feitos e suas mazelas, com suas ações e omissões, ao escrutínio da militância e, sobretudo, ao olho no olho com a nação brasileira.”

A assembleia estudantil

Sobre a convenção, nela registrei alguns fatos insólitos:

1) durante penosos minutos, fiquei sem saber se teria lugar à mesa ou não;

2) visivelmente reduziram a potência do som, quando discursei;

3) para o Instagram da Rede 45 (conta oficial do PSDB), eu simplesmente “não fui” à convenção. Que feio!

4) quando se começou a entoar o hino nacional, um certo cidadão, que dizem ligado a você, genro não sei bem de quem, intrometeu-se, bruscamente, entre o presidente Fernando Henrique e eu, espero que mandado por ninguém, certamente com intuito de evitar alguma primeira página retratando aquele momento entre o notável sociólogo e seu antigo ministro e duas vezes líder do seu governo.

Miudezas, Geraldo, que – tenho certeza! – não fazem parte da perspectiva generosa que, obrigatoriamente, deve fazer parte do caráter de um candidato a dirigir o Brasil.

Vaias

Fiquei feliz com as “vaias” de uma das charangas, porque elas logo silenciaram – e viraram aplausos – diante das razões de quem não é dúbio e não teme jogar na casa do adversário.

Não confundamos, aliás, o conceito do PSDB, junto aos brasileiros, com a convenção tão recentemente realizada.

O Brasil estava bem distante das centenas de pessoas que foram ao nosso evento, levadas, em sua maioria, por lideranças partidárias. Eu mesmo levei minha “claque”: minha esposa, um deputado estadual, um vereador, um dirigente, e mais duas ou três pessoas. Uma multidão!

‘Não sou paulista’

Não permita, por fim, que se agigante um sentimento de rancor contra o seu Estado, meu prezado Geraldo. O deputado Caio Narcio (de Minas Gerais) tentou subir ao palanque, para abraçar alguém, e foi barrado por uma senhora de postura marcial: “O senhor não pode subir”. Ao que o deputado respondeu: “Sei que não posso, não sou paulista”.

Você sabe como discordei, apesar de toda a estima pessoal, de termos um presidente do PSDB que, ao mesmo tempo, fosse postulante à presidência da República. O gesto truculento contra o Tasso soa, então, como pessoal. E o desmentido dessa jurisprudência, pois, soa como casuística também. Somente me resta, agora, opinar que a única postura que lhe cabe, neste momento, é acabar com esse disse-me-disse sobre as prévias. Declare, com a firmeza que o caracteriza, que elas acontecerão e serão amplas, irrestritas, livres e lisas.

Declare que o PSDB terá de fechar questão a favor da reforma da Previdência, em nome do Brasil, e não das próximas eleições. Declare que conduzirá nosso partido pelo caminho aberto do reencontro com os brasileiros, e não pelos atalhos que levam a decisões de cúpula, ao menoscabo aos nossos militantes.

Enfim, companheiro, enfrente-me em campo aberto. Ou perderemos mais uma eleição e nos tornaremos cada vez mais irrelevantes na cena política brasileira.

Saudações tucanas.

Arthur Virgílio Neto”

Veja também

David Assayag completa 50 anos e considera toada de boi bumbá ‘madura para explodir’ David Assayag completa 50 anos e está no estúdio, gravando o CD do Caprichoso 2018. Na foto, Alysson Low (esquerda, dono do Studio ABM, local da gravação), maestro Labamba, colunista Sinny Lopes, David Assayag, Babá Tupinambá (presidente do Caprichoso), Neil Armstrong (maes...
Parintins: Carnailha voltará à avenida Paraíba e terá novo formato    Reunião entre o prefeito Bi Garcia e a Associação Carnavalesca de Parintins acertou os detalhes do Carnailha 2018. Foto: DivulgaçãoFoi definido em reunião entre Prefeitura e Associação Carnavalesca de Parintins (ASCAP) o novo formato do Carnailha 2018. O carnaval voltar...
Descartado surto de Febre Amarela em Manaus Foto: Arquivo/MS Manaus não corre nenhum risco de ocorrência de surto de febre amarela, como o que vem acontecendo no Estado de São Paulo e ocorreu no ano passado em Minas Gerais. A afirmação foi feita pelo secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, para tranquilizar ...
Novo medicamento para prevenção de HIV começa a ser distribuído pela Susam, a partir desta quarta-fe... A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) passará, a partir desta quarta-feira (17/1), a disponibilizar a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), tratamento que consiste no consumo diário de um medicamento preventivo chamado antirretroviral Truvada. O tratamento de prevenção ao H...
Enterro de amazonense morto na Venezuela será às 11h no Cemitério Parque Tarumã O corpo de Amaury Castro da Silva,47, vítima de latrocínio ocorrido na Venezuela, está sendo velado na Funerária Almir Neves na Rua Monsenhor Coutinho, no Centro de Manaus.O enterro será realizado às 11h, desta terça-feira (16), no cemitério Parque Tarumã, na Avenida...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook