Prisão de mentora intelectual do massacre do Compaj e esposa do Zé Roberto da FDN está nas mãos da Justiça

Esposa de Zé Roberto, Luciane Albuquerque, 29, teve a prisão preventiva pedida pela promotoria. Ela é uma das 213 pessoas denunciadas por envolvimento no massacre do Compaj. Foto: Arquivo

Denunciada como mentora intelectual do maior massacre em presídio do Amazonas, entre a trinca de comando da facção criminosa Família do Norte (FDN), junto com Gelson Carnaúba, o “Mano G”, João Pinto Carioca, o “João Branco”, e o marido, José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto”, a parintinense Luciane Albuquerque de Lima, 29, tem pedido de prisão preventiva solicitado à Justiça.

Ela está no rol das 213 pessoas denunciadas pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) pelo homicídio triplamente qualificado, tortura e vilipêndio (desrespeito à cadáveres) de 56 presos durante a rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em janeiro deste ano.

O massacre é considerado o maior dentro do sistema prisional do Brasil, desde o de Carandiru, em 1992.

Segredo de Justiça

O pedido está nas mãos do juiz de Direito Anésio Rocha Pinheiro, titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri, que deve decidir se acata a prisão solicitada pelo promotor Edinaldo Medeiros. O processo corre em segredo de Justiça.

Luciane Albuquerque foi identificada como a emissária principal da ordem para a chacina, entregando a carta com a ordem para a matança com aval do mentor do crime, seu marido, chamado de “capo de tutti capi”, o chefe de todos os chefes da FDN. Ele é um dos fundadores da facção criminosa, hoje preso na Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

PCC

A investigação confirmou que o massacre aconteceu quando a trinca da FDN ordenou a morte de integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), rival da facção amazonense. Na denúncia, as penas de acusação de homicídio somam mais de 2,2 mil anos.

De acordo com o MP, a partir de relatos e vídeos de Whatsapp, divulgados pelos próprios acusados, os presos empregaram meios cruéis, como fogo e asfixia, e impossibilitaram a defesa das vítimas, já que elas estavam desarmadas e confinadas em celas.

Uma outra motivação apontada extraoficialmente para a matança seria de ordem pessoal, em razão de um estupro ocorrido contra a esposa de José Roberto, pelo traficante e homicida Márcio Pessoa da Silva, o “Marcinho Matador”, do PCC.

Exibicionismo

O exibicionismo nas redes sociais facilitou a identificação, especialmente dos que cometeram atrocidades durante o verdadeiro extermínio do PCC e de presos vulneráveis, como estupradores.

Além da prisão de Luciane, o MP deve pedir extensão da permanência dos líderes da FDN nos presídios federais, evitando uma convulsão no sistema penitenciário do Estado, que não é estável. Contra 205 dos 213 denunciados já há mandados de prisão expedidos e a maioria está detida.

Olhos humanos

Os detentos rivais foram mortos a tiros, estocadas, facadas e pauladas, muitos sendo degolados, esquartejados e queimados. Houve tortura, barbarie e atrocidades, como decapitações e presos obrigados a comer olhos humanos de outros já executados.

Luciane foi o elo entre “Zé Roberto” e os presos do Compaj, e sua liberdade, segundo a promotoria, pode interferir na ordem pública e na instrução criminal, dando acesso a testemunhas, réus e vítimas.

Veja também

Justiça prorroga atuação da Força Nacional no AM até março de 2018. Tropas seguem nos presídios um a... Quadra do cemitério onde estão enterrados os detentos mortos na rebelião do Compaj. MP denunciou 213 pessoas por envolvimento no massacre. Seap solicitou forças até junho de 2018. Foto: ArquivoO Ministério da Justiça prorrogou a atuação da Força Nacional de Segurança Pú...
EXCLUSIVO: Ex-esposa de Zé Roberto rebate acusação de comandar massacre no Compaj. Veja entrevista, ... Ex-esposa de Zé Roberto afirma: "Sou inocente e quero viver em paz, cuidando de minha filha"Ex-esposa de Zé Roberto da Compensa, nascido José Roberto Fernandes Barbosa, considerado líder da organização criminosa Família do Norte (FDN) rompe silêncio. Luciane Albuquerque...
AM tem a maior superlotação carcerária do País Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias divulgado nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública revela que o Estado do Amazonas lidera o ranking dos Estados brasileiros com a maior superlotação carcerária do País. Conforme os dados, o déf...
EXCLUSIVO: STJ mantém afastamento de desembargadora Encarnação em decisão unânime Afastamento da desembargadora Encarnação Salgado ocorreu porque ela foi acusada de ligação com integrantes da FDNAfastamento da desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está mantido por mais três meses. A decisão, un...
TJAM garante direito à posse de concursada por cumprir requisitos de edital Concursada teve liminar concedida para assumir cargo de técnico em hemoterapia da Susam. Foto: Divulgação TJAMAs Câmaras Reunidas do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) confirmaram liminar e concederam segurança a uma concursada para o cargo de técnico em hemoterapia...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook