Esquema de desvio de R$ 7,8 milhões de convênios com Fepesca pode ter beneficiado políticos, diz MP-AM

Durante os anos eleitorais, o MP identificou que o volume de recursos e quantidade de convênios dobravam. As informações foram divulgadas hoje, pelo procurador-geral de justiça Fábio Monteiro. Fotos: Divulgação

Com desvio de mais de R$ 7,85 milhões dos cofres públicos, entre 2009 e 2014, um esquema envolvendo convênios entre a Federação de Pescadores do Estado do Amazonas e Roraima (Fepesca), Governo do Amazonas e empresas pode ter beneficiado políticos em anos eleitorais. Essa é uma das suspeitas levantadas pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

O esquema é alvo de investigação que deflagrou nesta quinta-feira (7) a Operação Traíra, para cumprir 26 mandados de busca e apreensão em Manaus e Manacapuru, resultando em 5 mil documentos recolhidos dos envolvidos, empresas e residências dos sócios e dirigentes da federação. Os crimes praticados são de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Próxima fase

Ao todo, 16 pessoas físicas e 10 jurídicas são investigadas por suspeita de participação no esquema. A próxima fase da operação é apurar o destino final dos recursos destinados aos convênios, que deveriam beneficiar 9,6 mil pescadores artesanais do Estado, com cursos nunca realizados no projeto “Pescando Cidadania.

Durante os anos eleitorais, o MP identificou que o volume de recursos e quantidade de convênios dobravam. As informações foram divulgadas hoje, pelo procurador-geral de justiça Fábio Monteiro.

Iceberg

“É uma prioridade da nossa gestão de investimento em tecnologia, que permite combate à corrupção e à criminalidade organizada com inteligência. Teremos um 2018 muito movimentado e estamos colhendo os frutos das investigações como a de hoje, que é a ponta de iceberg. Cruzando os dados, os serviços contratados não foram realizados, e eram sempre as mesmas empresas, sem estrutura para desempenhar os trabalhos, inclusive com emissão de notas fiscais frias”, falou o procurador-geral.

O objetivo desta fase foi realizar a maior apreensão de material possível para seguir com o cruzamento de dados e possibilidade de aumento de pessoas envolvidas no esquema. “Com o aprofundamento vamos verificar se existem outras ligações com fundações, ONGs e empresas”.

Gaeco

O procurador de justiça e coordenador Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (CAOCRIMO/Gaeco), Mauro Veras, contou que a diretoria da Fepesca e empresários estão bastante envolvidos no esquema. “A extensão dos danos pode ser maior. Há um pedido de sequestro de dinheiro e bens para reduzir o dano ao erário. A impressão que se tem é os envolvidos acreditam na certeza da impunidade, de que o malfeito não vai ser descoberto. Mas mesmo com fatos ocorridos em tempo passado, é possível investigar e dar a devida punição”, disse Veras.

As primeiras irregularidades foram identificadas durante apuração da 13ª Promotoria da Proteção do Patrimônio Público que teve como alvo um convênio de 2009 firmado entre Secretaria de Trabalho do Estado do Amazonas (Setrab) e a Fepesca.

Foram resgatados documentos de 2009 a 2014, celulares, busca pessoal com celulares, computadores, notebooks, explicou o procurador de justiça Mauro Veras

Veja também

Nova chacina na disputa FDN-PCC evitada com apreensão de fuzil e metralhadora. Aliados de João Branc... Grupo liderado por "Obama" foi preso ontem, quando se preparava, fortemente armado, para tomar boca de fumo em área do PCC. Polícia confia ter evitado uma chacina na zona Norte. Fotos: Divulgação PC-AMMenos de 24 horas depois da prisão de um dos líderes da facção crimin...
Mãe de adolescente que acusa desembargador publica conversas com pai da menina. Ele ameaça bater no ... Desembargado Rafael Romano, 72, foi denunciado pela ex-nora por abusar da neta. Mãe e filha foram ao MP fazer relato hoje. Foto: ArquivoApós denunciar o desembargador aposentado e avô da sua filha, Rafael Romano, 72, por pedofilia contra a própria neta, a mãe da vítima ...
Prefeitura de Caapiranga está proibida de realizar saques em dinheiro na “boca do caixa”... Juiz Glen Hudson deferiu liminar requerida pelo MP para que bancos não façam transferências e operações bancárias com a Prefeitura de Caapiranga. Foto: DivulgaçãoO juiz Glen Hudson Paulain Machado deferiu antecipação de tutela requerida pelo Ministério Público Estadual ...
Primeiros presos do semiaberto devem sair do Compaj dentro de 20 dias. Complexo será desativado  Os 585 presos do regime semiaberto do Compaj vão começar a sair da unidade em grupos, com tornozeleiras, a partir da análise de cada processo e comportamento carcerário, explica Seap. Fotos: DivulgaçãoOs 585 presos que atualmente estão no regime semiaberto do ...
Foragido e condenado no PA, traficante tinha vida de luxo em Manaus, com nome falso. Ele foi preso c... Em 2010, Marco Aurélio foi preso com 140 kg de cocaína em Santarém. Ele usava rota do tráfico por Tabatinga para o Pará, onde foi condenado a 12 anos. Foto: DivulgaçãoO foragido da Justiça do Pará Marco Aurélio Rosas de Jesus Júnior, 41, vulgo "Marquinhos", "Roberto" ou...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook