Seja bem-vindo, Dr. Meireles!

Na mira do Belmiro

Na mira do Belmiro

Seja bem-vindo, Dr. Meireles é um apelo ao ministro

Seja bem-vindo, Dr. Meireles! é título do artigo em que o empresário Belmiro Vianez Filho apresenta a Zona Franca e os problemas do Amazonas ao ministro da Fazenda

Há 50 anos, o saudoso ministro Roberto Campos, quando aqui esteve, entendeu rapidamente a necessidade cívica da isenção fiscal para promover o desenvolvimento regional.

Havíamos saído da II Guerra destroçados pelo abandono do II Ciclo da Borracha. Já contribuímos com 45% do PIB com a Economia do Látex. Por isso, o ministro Roberto Campos formulou o melhor projeto de renúncia fiscal associada a desenvolvimento integral – Comércio, Indústria e Agricultura – para reduzir as disparidades do Brasil. Hoje se retorce em outra vida ao verificar as distorções de seu acertado e extraordinário desenho fiscal. Mas exulta, ao constatar que, de quebra, seu projeto ZFM cumpre um papel adicional de extrema relevância climática e planetária: a proteção da floresta, o único ativo que o Brasil tem para oferecer no Acordo do Clima.

Vamos, porém, aos motivos da revolta e indignação de Roberto Campos e dos habitantes esquecidos deste Brasil que o Brasil desconhece e maltrata.

  1. Fomos colocados à margem da Lei. A Constituição do Brasil nos confere direitos fiscais, seríamos, pois, uma Zona de Livre Comércio. Entretanto desconfiança nacional sob esse projeto permitiu que esses direitos fossem mutilados por legislações infra-institucionais, como leis complementares, leis ordinárias, portarias e até mesmo as famosas instruções normativas. Isso permitiu que a fiscalização sob as mercadorias estrangeiras desembarcadas na ZFM, se transformasse numa compulsão. Ministro, apenas 5 itens têm restrições de isenção: armas, munição, fumo, perfumes, carros de passeio.
  2. Recolhemos para os cofres federais três vezes mais que recebemos. Pesquisas da FEAUSP, a mais reconhecida escola de Economia do Brasil, comprova que 54,43% da riqueza aqui gerada é recolhida pela União. Aqui, embora tenhamos a pecha de paraíso fiscal, somos na verdade o paraíso do fisco.
  3. Ou seja, a riqueza que deveria reduzir as desigualdades regionais, é contingenciada pela União. Por isso, temos 11 municípios no Amazonas entre os 50 piores IDHs municipais do Brasil. A Receita recolhe em Manaus, mais de 50% de todos os impostos federais da Região Norte.

  4. Mesmo assim, não temos um porto público condizente, a logística de transportes é precária, a pior comunicação de dados e voz do Brasil e integramos o Sistema Nacional de Energia com a mais desastrosa distribuição nacional. Isso sem falar do clamor por uma estrada que nos liga ao Brasil e que vem sendo boicotada.
  5. Perdemos a condição de Livre Comércio – que nos permitia comprar gêneros alimentícios importados, vestuário, medicamentos…etc. – para o contrabando do Espírito Santo ou Paraguai. Nossa cesta básica está entre as mais caras do Brasil.
  6. A Suframa – o único gestor de incentivos fiscais que presta contas, segundo o TCU – perdeu autonomia e tem suas verbas contingenciadas, há 15 anos, em 80%, o mesmo percentual das verbas de Pesquisa & Desenvolvimento. O que nos impede de criar novas modulações econômicas em biotecnologia e tecnologia da informação e comunicação.
  7. O TCU acionou o MPF em Acórdão confirmando, depois de 10 anos de estudos e entrevistas, a completa desarticulação da presença federal no Amazonas. As verbas confiscadas poderiam desenvolver uma bioindústria de cosméticos, fármacos, nutracêuticos, com baixa emissão de carbono, para conservar a floresta com manejo inteligente e baseado em inovação tecnológica.
  8. Com apenas 9% do volume de isenção do País, a ZFM gera milhões de empregos, no Amazonas, no comércio regional, na cadeia produtiva de sua indústria, e conta com apenas 0,6% dos estabelecimentos produtivos. Com isso, protege a floresta, que fornece água e oxigênio para o Brasil e para o mundo. O Sudeste, a região mais rica, consome 60% dos incentivos e das verbas do BNDES, e só São Paulo conta com 30% das indústrias do país.
  9. Seja bem-vindo, Dr. Meireles.

  10. Aqui precisamos, apenas, respeitar a Constituição. Somos uma Zona de Livre Comércio. Não queremos ser paraíso do fisco. Ajude a aplicar aqui a riqueza aqui construída, para qualificar nossos jovens, proteger nossa família do narcotráfico, gerar mais riquezas, zelas pelo patrimônio natural e pelo bem do Brasil.
* Belmiro Gonçalves Vianez Filho é empresário e sócio da Pneu Forte Av. Mario Ypiranga, 2285 Manaus - Amazonas belmirofilho@pneufortenet.com.br 92-3642 5050

Veja também

Arthur manda carta aberta a Alckmin e revela ‘pegadinhas’ da convenção nacional do PSDB... Arthur manda carta aberta ao governador Geraldo Alckmin. Ele demonstrava cara de poucos amigos na convenção do PSDBO prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, retorna da Convenção Nacional do PDSB. E envia Carta Aberta ao governador de São Paulo, presidenciável e agora presi...
Tiririca renunciou para favorecer Genoíno. Fato ou boato? Tiririca renunciou para favorecer Genoíno? Confira se isso é fato ou boatoTiririca renunciou para favorecer Genoíno, ex-deputado do PT, que está prestes a ser julgado. Ele precisa, desesperadamente, de foro privilegiado. Daí a manobra da renúncia de Tiririca. Essa é a v...
Prefeitura abre Processo Seletivo para a contratação de agentes de fiscalização com 100 vagas A partir das 9h desta terça-feira, 12/12, a Prefeitura de Manaus, por meio da Casa Civil estará com inscrições abertas para o Processo Seletivo Simplificado (PSS), para a contratação de agentes de fiscalização. As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, no ende...
Carro roubado há seis meses no Parque Dez é encontrado na estrada de Novo Airão A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Manacapuru, município distante 68 quilômetros da capital, prendeu em flagrante, na manhã desta segunda-feira (11/12), Francisco Saraiva da Costa, 34, por receptação e adulteração de sinal ident...
Comissão de Defesa do Consumidor da Aleam realiza 1º Mutirão de Renegociação de Dívidas Na quinta e sexta-feira (dias 14 e 15), a Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC-Aleam) realiza o 1º Mutirão de Renegociação de Dívidas Bancárias, que começará a partir das 8h, na Escola do Legislativo.O mutirão vai cont...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook