17ª Vara Cível homologa acordo de fim de sociedade de R$ 8,5 milhões

Audiência de conciliação em processo de dissolução de sociedade que tramita na 17ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho resultou em acordo de R$ 8.540.000,00, informou a juíza Simone Laurent de Figueiredo, que a presidiu. Em razão de segurança das partes, quando valores altos são envolvidos, os nomes não são divulgados.

Realizada nesta quinta-feira (30), no Fórum Ministro Henoch Reis, a audiência durou mais de três horas e encerrou processo iniciado neste mesmo ano, com a homologação do acordo pela magistrada.

Conciliação

“Esse acordo que fechamos hoje, a ação iria levar anos, e hoje conseguimos um acordo altíssimo, de mais de R$ 8 milhões; acho que resolveu o problema não só das partes, mas de várias pessoas ligadas a elas”, disse a magistrada. Na avaliação da juíza, a Semana da Conciliação é uma iniciativa muito boa.

“Nós precisamos imprimir nas partes, nos cidadãos, a cultura da conciliação, porque hoje nós não temos isso, temos a cultura do litígio. As pessoas querem ajuizar ações, querem brigar por qualquer coisa e na verdade e isso avoluma o trabalho no Judiciário, a engrenagem fica prejudicada, porque são muitos processos e poucos juízes. E a conciliação traz essa ideia de que realmente é melhor viver em paz”, observou a juíza Simone Laurent de Figueiredo.

Abrindo mão

Segundo a magistrada, às vezes, para conciliar, é preciso abrir mão de certas coisas, até conseguir um bom acordo. Ela explica que nas varas cíveis isso é um pouco complicado, porque os valores são muito altos, as ações são complexas, mas que a experiência tem sido positiva, principalmente com relação aos bancos e às prestadoras de serviço.

“A atual crise econômica no país trouxe muitos processos, execuções, cobranças, e a maioria das pessoas às vezes não paga porque não pode – estão desempregadas, com dificuldades – e isso tudo é resolvido na Semana da Conciliação e é muito bom”, finaliza a juíza.

Veja também

Justiça decreta prisão temporária de ex-prefeito de Coari e quebra de sigilo fiscal e bancário Juiz da Comarca de Coari decretou prisão temporária do ex-prefeito Raimundo Magalhães, que assumiu em 2015. Foto: DivulgaçãoO juiz Fábio Lopes Alfaia, titular da 1ª Vara da Comarca de Coari (distante 363 quilômetros de Manaus), decretou a prisão temporária do ex-prefeit...
MP-AM obtém liminar que suspende cobrança de taxas nos colégios da PM em Manaus Juíza Rebeca de Mendonça Lima determinou, em liminar, que gestores dos colégios da Polícia Militar não cobre taxas de pais ou responsáveis para fins de matrícula, rematrícula, expedição de diploma, material e/ ou uniforme. Foto: ArquivoO Ministério Público do Estado do ...
Presidente do TJ nomeia 21 novos juízes e todas as comarcas terão magistrados titulares no interior ... Com a medida, a Justiça Estadual estará com juízes titulares em todas as Comarcas do interior, um feito inédito na história do TJAM. Foto: Raphael Alves/ TJAMO presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Flávio Pascarelli, assinou nesta terça-fei...
Varas intensificam julgamentos de processos de crimes contra a vida até sexta TJAM tem pauta extra de audiências de instrução e julgamento de processos em que serão julgados réus em liberdade, acusados de crimes contra a vida. Foto: Raphael Alves/ TJAMO Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) realiza nesta semana, até sexta-feira (15), uma pauta e...
Judiciário vai reciclar 23 mil processos que já cumpriram prazos legais de guarda Vinte e três mil processo podem ser reciclados pelo Arquivo Geral do TJAM, mas antes interessados podem fazer cópias dos documentos. Fotos: William Rezende/ TJAMUm total de 23 mil processos que já tiveram tramitação concluída na Justiça amazonense e cumpriram os prazos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *