Número de mortes aumenta 24,7% em dez anos no Brasil, aponta IBGE

O número de mortes registradas no Brasil entre 2006 e 2016 aumentou em 24,7%, segundo dados do IBGE divulgados hoje. Foto: Arquivo

O número de mortes registradas no Brasil entre 2006 e 2016 aumentou em 24,7%. Em 2006, foram contabilizadas 1.019.393 mortes e, no ano passado, 1.270.898.

Houve redução expressiva da mortalidade até os 14 anos e aumento nas idades mais avançadas, em especial acima dos 50 anos, reflexo do envelhecimento populacional.

Os dados constam da pesquisa Estatísticas do Registro Civil 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta terça-feira (14).

Em 1976, os óbitos de menores de 1 ano e de menores de 5 anos representavam 27,8% e 34,7% do total, respectivamente.

Após os 40 anos

Após 40 anos, os avanços nas condições de saneamento básico, na distribuição de medicamentos e no aperfeiçoamento de vacinas e de outros meios de medicina preventiva permitiram que os óbitos dos menores de 1 ano ficassem em 2,4% e o de menores de 5 anos, em 2,9%.

Há quatro décadas, as mortes de pessoas com mais de 65 anos correspondiam a 29,1% do total. A partir de 2006, mais da metade das mortes é proveniente da população com mais de 65 anos. No ano passado, esse percentual alcançou 58,5%.

Masculina

Em 2016, um homem de 20 anos tinha 11 vezes mais chance de não completar os 25 anos do que uma mulher se a causa da morte fosse externa (homicídio, suicídio, acidentes de trânsito, afogamentos e quedas acidentais). O índice cresceu 141,3% nesse período de 40 anos – em 1976, este índice era de 4,6 vezes.

Para os homens, o volume de óbitos aumenta significativamente para quem tem idade de 15 a 39 anos, em função das causas violentas que afetam com maior intensidade este contingente populacional.

Se forem considerados somente os óbitos por causas naturais no grupo de 20 a 24 anos, um homem de 20 anos teria 2,2 vezes mais chance de não completar os 25 anos do que uma mulher na mesma idade.

Veja também

Desemprego cai para 12% no trimestre encerrado em novembro, mostra IBGE Taxa de desemprego no Brasil fechou o trimestre encerrado em novembro em 12%, segundo dados do IBGE. Foto: DivulgaçãoA taxa de desemprego no país fechou o trimestre encerrado em novembro em 12%, uma retração de 0,6 ponto percentual em relação ao trimestre anterior, quan...
Prefeitura e IBGE assinam termo de cessão que doa prédio a projeto Viva Centro Prédio, doado pelo IBGE, vai complementar projeto das Galerias Populares, para ser usado como atendimento a beneficiados. Foto: Mário Oliveira/ Secom Com o objetivo de atrair o público e movimentar ainda mais o comércio informal no centro da cidade, em instalações como as ...
Expectativa de vida do brasileiro é de 75,8 anos, afirma IBGE Em 76 anos, de 1940 a 2016, a expectativa de vida dos brasileiros ao nascer aumentou em mais de 30 anos e hoje é de 75,8 anos – um acréscimo de três meses e onze dias em relação a 2015. Os dados constam da Tábua de Mortalidade de 2016 e foram divulgados hoje (1º) pelo In...
No Norte, população é declarada 72,3% parda e 19,5% branca, mostra IBGE Na Região Norte, 72,3% se declararam pardos, e 19,5% brancos, com 7% de pretos, conforme pesquisa do IBGE. Foto: DivulgaçãoA Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) 2016, divulgada nesta sexta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografi...
No Brasil, falta trabalho adequado para 26,8 milhões de pessoas, diz IBGE No Brasil, segundo pesquisa nacional, hoje existem 26,8 milhões de pessoas sem trabalho adequado. Foto: DivulgaçãoA taxa de subutilização da força de trabalho no país ficou praticamente estável no terceiro trimestre do ano, fechando em 23,9% do mercado de trabalho – cre...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook