Incêndio em Humaitá destrói sede do Ibama e do Incra. Veja as fotos

O incêndio no município de Humaitá (distante 830 quilômetros de Manaus) teria começado no final da tarde desta sexta-feira, (27) e seria uma retaliação das famílias dos garimpeiros à operação do IBAMA e Força Nacional de Segurança que nesta semana apreendeu mais de 30 balsas de garimpo irregular que estavam operando nas margens do Rio Madeira.

O IBAMA afirma que a atividade dos extrativistas está ilegal e deveria ser paralisada imediatamente. A suspensão das atividades ocasionou revolta nas famílias dos garimpeiros que alegam prejuízos com a perda das balsas.

A situação ficou tensa durante toda a semana em Humaitá e hoje se agravou porque o IBAMA teria incendiado as balsas apreendidas.

Veículos oficiais foram destruídos no incêndio. Foto: Corpo de Bombeiros

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio destruiu a sede do Ibama no município, atingiu vários veículos do órgão que estavam estacionados nas dependências do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A sede do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) também teria sido atingida pelo fogo.

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados mas não conseguiram evitar que o fogo se alastrasse.

Operação Otetran

As ações do IBAMA e da Força Nacional em Humaitá tiveram ainda o reforço da Policia Rodoviária Federal que apreendeu, durante a Operação “OTETRAN”, um carregamento de mais de 100 quilos de mercúrio (Azougue), que conforme investigação, seriam vendidos nos garimpos do Pará. O líquido é altamente poluente e é utilizado para capitação do ouro pelos garimpeiros da região.

Mais informações em instantes.

 

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *