Em último comício da campanha, Amazonino promete defesa incansável do povo amazonense

“Eu não descansarei. Primeiro para arrumar a casa, porque ela está desarrumada. Segundo para repor os empregos. Nossa luta será em Brasília (DF), será aqui, subindo e descendo barrancos, caminhando nas ruas. Será gritando pelos nossos direitos, discutindo a nível nacional, em todos os cantos. Lá estará o Negão defendo o seu povo”. O discurso acalorado do candidato Amazonino Mendes (PDT) encerrou, na noite desta quinta-feira (24), o último comício da campanha, realizado na rua São Lourenço, bairro Terra Nova 2, Zona Norte.

Diante de milhares de pessoas, Amazonino agradeceu ao apoio recebido pela população amazonense durante os dois meses da eleição suplementar. O ex-governador enfatizou que irá lutar pela geração de empregos no Estado.  “Ouçam o que vou falar: Nós temos 300 mil desempregados no Amazonas. Imaginem 300 mil famílias sofrendo com a falta de recurso, sem poder pagar as contas, sem poder botar comida na mesa, ajudar os filhos. Essa vai ser a minha grande tarefa. Essa será a razão da minha luta e do meu grande companheiro Bosco Saraiva”, comentou.

O candidato Amazonino destacou que se candidatou novamente ao cargo de governado do Amazonas para cumprir uma missão. “Não quero bens materiais. Estes cabelos brancos falam por si mesmos. Tudo já passou na minha vida. Vaidade de eu ser governador? Claro que não! Fui três vezes governador. Não mexe comigo esta vaidade”, declarou. “Quero que quando eu partir, que meu povo todo se lembre que teve um amazonense, filho do interior, humilde, de cor morena, chamado de ‘Negão‘, que não faltou ao respeito e nem o seu amor a sua gente querida”, completou.

Amazonino Mendes salientou aos moradores sobre as condições em que assumirá o Estado, caso seja eleito no próximo domingo (27). “Eu sei o que me espera. Sou consciente. O estado está desarrumado! Brincaram com a coisa pública. Jogaram fora, as suas conquistas. Os hospitais que fizemos já não te recebem mais, praticamente fecharam as portas. Há uma falência do serviço público. Eu vou arrumar a casa, colocar ordem e recuperar”, finalizou.

Estiveram presentes no último comício da coligação “Movimento pela reconstrução do Amazonas”, o candidato a vice, deputado Bosco Saraiva, o prefeito de Manaus, Arthur Neto, e o vice-prefeito Marcos Rotta, ambos do PSDB, a primeira-dama Elisabeth Valeiko, o senador Omar Aziz (PSD), prefeitos do interior do Estado, parlamentares e lideranças comunitárias.

Veja também

Manaus vai sediar encontro da ANS sobre regulação de Planos de Saúde A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está preparando mais uma edição do Encontro ANS, evento direcionado aos agentes do setor para discutir temas relacionados à regulação do mercado de planos de saúde. A atividade ocorrerá nos dias 21, 22 e 23 de novembro, em Ma...
Amazonas é destaque no encerramento da COP23, na Alemanha  O “Amazonas for the planet program”, lançado pelo Governo do Amazonas na 23ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP23), em Bonn, na Alemanha, foi destaque nesta sexta-feira (17/11), no encerramento do evento. Com a participação de 197 países empenhad...
Governo do Amazonas inicia processo de licitação para construir três novos presídios no interior do ... Foto: Stéfany Seixas/ SeapPor determinação do governador Amazonino Mendes, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) encaminhou à Comissão Geral de Licitação (CGL) processos para abertura de certame visando a contratação de empresas especializad...
Uma surpresa Eis senão quando, vejo-me “autor”. Conto como ocorreu o fenômeno: agindo à sorrelfa, numa trama digna de “thriller” cinematográfico, meus quatro filhos reuniram alguns destes escritos que eu cometo semanalmente, convenceram uma editora e publicaram o conjunto em forma de um ...
Arthur defende liberação da maconha, homossexuais e privatização. E pode renunciar em abril Arthur está de boltanao belho estilo que polemiza e inquietaA Revista Exame, da Editora Abril, coloca o prefeito Arthur Virgílio entre os que renunciarão em abril de 2018. O jornal espanhol El País é mais contundente. Mostra um Arthur que defende da privatização total à...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook