Sábado, 21 de abril de 2018

Padre amazonense, superior dos jesuítas na Amazônia, tem encontro privado com o papa Francisco

O padre amazonense Adelson Santos, superior dos jesuítas na Amazônia, teve um encontro privado com o papa Francisco, sábado, no Rio de Janeiro. Ele foi um dos 11 integrantes da ordem, à qual o papa também pertence, convidados para concelebrar uma missa privada na residência Assunção, no Sumaré, no Rio de Janeiro, onde o pontífice ficou hospedado.

Adelson, devidamente paramentado para a celebração da missa

Adelson, devidamente paramentado para a celebração da missa

 

O momento do encontro com o papa e a pose para a foto

O momento do encontro com o papa e a pose para a foto

“O papa Frederico Lombardi, que já esteve em Manaus, foi um dos concelebrantes”, disse Adelson. Ele confessa que ficou emocionado no momento de ficar frente a frente com o papa, e acabou falando em italiano.

Comandando uma caravana de jovens de Manaus, Belém e Boa Vista, Adelson levou em mãos os crucifixos que todos ganharam como souvenir da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) para serem abençoados pelo papa. “Ele, gentilmente, abençoou um a um”, disse.

São cerca de 30 jesuítas na Amazônia, em atuação, e outros 15 estudantes se preparando para serem padres ou irmãos em diversas cidades onde há escolas de Filosofia e Teologia, como Belo Horizonte (MG) e Caracas, na Venezuela. Eles atuam em Manaus, Marabá e Belém. Na capital amazonense, trabalham como professores e nos bairros Alfredo Nascimento e Cidade de Deus, onde têm uma casa de retiro.

Adelson é advogado, formado pela Ufam, e doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (PUG) de Roma.

Ouça abaixo a íntegra da entrevista do padre à rádio CBN Manaus:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook