Padilha, entre a imposição política e a ajuda pífia

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ministro da Articulação Política do presidente Lula, responsável pela interferência direta no processo eleitoral do Amazonas, ano passado, e ex-aluno da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT-AM), dimensionou muito mal a questão da dengue no Amazonas. Ofereceu R$ 3 milhões como ajuda federal “engajada” no combate à dengue.

É um abuso. E logo da parte de quem viu de perto o que o Amazonas deu a Lula e a Dilma, ambos detentores dos maiores porcentuais relativos de votos em suas caminhadas para o Palácio do Planalto.

O Governo do Estado e todas as autoridades que participaram daquele processo – mesmo as que tiveram que ceder às imposições do ministro – têm que, agora, bater de frente com ele. Padilha abusou.

3 comentários para “Padilha, entre a imposição política e a ajuda pífia

  1. ney anderson barbosa disse:

    Bom dia….
    Parabéns pela qualidade da radio….
    TEMA: GUERRA CONTRA A DENGUE
    JUNTOS VENCEREMOS
    Convidamos a radia para participar da caminhada comunitária contra a dengue as 09:00 horas da manha do dia 25/02/2011, com participação das Casinhas de Saúde, Escolas, Associação dos Moradores e Amigos do Ouro Verde, Centro de Desenvolvimento Comunitário e Forca Jovem.
    Local: Praca do Ouro Verde – Coroado, rua Amazonas.
    Tel: 9213-8141

  2. Regis Araujo disse:

    Boa tarde;

    As posições assumidas por voces são corajosas e muito valiosas, chega de ficarmos ouvindo e lendo apenas elogios ao governo federal que não toma conhecimento do estado do Amazonas, nem em época de eleição, pois a senhora presidente da república até a presente data não se dignou ao menos em agradecer os votos recebidos do povo do Amazonas, mesmo que não os tenham pedido pessoalmente. PS: Senador Artur Virgilio Neto, o Senhor já está fazendo falta no Senado, quanta diferença.

  3. Carlos disse:

    Marcos Santos, infelizmente nossos governantes não estão preocupados com o povo, não respeitam o povo que os colocou ali no poder e o povo que paga o salário e os impostos que fazem obras fantasmas como o tapa buracos como da EMPARSANCO. R$ 87 MILHÕES , que dariam para fazer pelo menos 1740 casas populares ao preço de R$ 50 mil cada. Em uma casa que poderiam estar abrigadas a senhora e as duas crianças que morreram na madrugada de segunda passada. Que morram! como disse o prefeito.

Deixe uma resposta para Carlos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *